O Cepel inaugura, no dia 03 de dezembro, às 16h 30min, seu Laboratório de Smart Grids, um dos primeiros do gênero no país. Com investimentos da ordem de R$ 20 milhões, provenientes da Eletrobras, Petrobras e do Projeto META (MME e Banco Mundial), o laboratório, localizado na Unidade Adrianópolis do Centro, em Nova Iguaçu (RJ), permitirá a definição e a avaliação experimental de requisitos de conexão que possibilitem integrar, de forma otimizada, elevados níveis de Recursos Energéticos Distribuídos – como geração solar fotovoltaica distribuída, geração eólica, armazenamento com baterias e veículos elétricos plugáveis -, assegurando mais controlabilidade às redes elétricas e mantendo sua confiabilidade e robustez .

A cerimônia contará com a presença do ministro do MME, Bento Albuquerque; do presidente da Eletrobras, Rodrigo Limp; do diretor de Transmissão da Eletrobras e presidente do Conselho Deliberativo do Cepel, Marcio Szechtman; dos diretores do Cepel, Amilcar Guerreiro, Maurício Barreto Lisboa, Orsino Borges de Oliveira Filho e Consuelo Garcia, entre outros executivos e autoridades.  

Dentre os principais diferenciais do laboratório está sua bancada de simulação em tempo real Power Hardware in the Loop (PHIL). Pioneira no Brasil, nela, será possível avaliar, de forma simultânea, diferentes Equipamentos Sob Ensaio (ESE) interagindo com a representação em tempo real do sistema elétrico no qual os ESE serão conectados. Outro importante diferencial é que a potência nominal do laboratório permite a realização de ensaios de avaliação de conformidade para equipamentos de até 300 kVA, a maior capacidade nominal do Brasil e mais do que o dobro da potência do segundo maior laboratório do gênero do país.  

Futuramente, o laboratório também contará com microrrede híbrida em baixa tensão com mix de gerações fotovoltaica e convencionais, um meter wall para ensaio de interoperabilidade de medidores inteligentes e uma estação de carregamento para veículos elétricos plugáveis.

As características únicas do laboratório proporcionarão inúmeras opções de pesquisa e prestação de serviços, trazendo benefícios concretos às empresas do setor de energia e contribuindo para o avanço tecnológico do Brasil, dentro do atual contexto de transição energética.