• VOLTAR
  • Imprimir
  • ENVIAR
  • A+ A-
Cepel apresenta importantes avanços no modelo computacional NEWAVE durante XXV SNPTEE

Detalhes: Notícias

Cepel apresenta importantes avanços no modelo computacional NEWAVE durante XXV SNPTEE

13-11-2019

O modelo computacional NEWAVE, desenvolvido pelo Cepel para planejamento da operação energética de longo prazo, e largamente utilizado para funções setoriais pelo Ministério de Minas e Energia (MME), Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), incorporou novas funcionalidades. Os avanços no modelo estão sendo apresentados durante o XXV SNPTEE, que acontece em Belo Horizonte (MG), até hoje (13).

 


Uma das novidades no modelo é a representação de restrições de gases de efeito estufa no modelo e a integração dessas restrições com estudos de expansão, como destacado (em 11/11) pela pesquisadora Thatiana Conceição Justino, no artigo Representação de medidas de mitigação de gases de efeito estufa no problema do planejamento da operação de sistemas hidrotérmicos interligados, escrito em coautoria com: Albert Cordeiro Geber de Melo (Cepel); Maria Elvira Piñeiro Maceira (Cepel); Cristiane Barbosa da Cruz (Cepel); e Nelson Maculan (UFRJ).

 


A consideração de usinas individualizadas em parte ou todo o horizonte de estudo é outra nova funcionalidade do NEWAVE, que pode ser utilizada pelo ONS e pela CCEE no Programa Mensal de Operação e no estabelecimento do Preço de Liquidação de Diferenças (PLD), e pela EPE nos estudos de planejamento. O tema foi abordado (em 11/11) pela pesquisadora Cristiane Barbosa da Cruz, no artigo Representação de usinas hidrelétricas individualmente e de forma agregada na programação dinâmica dual estocástica – a abordagem híbrida, escrito em coautoria com Maria Elvira Piñero Maceira; André Luiz Diniz; Debora Jardim Penna; Albert Cordeiro Geber deMelo; Thatiana Conceição Justino; Felipe Treistman, todos do Cepel.

 


Um terceiro avanço no NEWAVE consiste na consideração da reamostragem dos cenários forward, o que confere maior robustez e estabilidade nos resultados do modelo. O assunto foi apresentado (em 12/11) por Maria Elvira Piñeiro Maceira no trabalho Avaliação do critério de parada do algoritmo de programação dual estocástica quando se utilizam técnicas de reamostragem de cenários de afluências, escrito em coautoria com Cristiane Barbosa da Cruz; Albert Cordeiro Geber de Melo; Debora Jardim Penna; Andre Luiz Diniz; Felipe Treistman, todos do Cepel.

 


No decorrer do evento, outros trabalhos do Cepel relacionados à otimização energética e ao meio ambiente estão sendo apresentados.
Otimização da operação diária de sistemas hidrotérmicos

 


Em relação ao modelo DESSEM, que será utilizado oficialmente pelo ONS a partir de 2020 para determinação do despacho semi-horário do sistema brasileiro para o dia seguinte e, em 2021, pela CCEE para determinação do preço horário de liquidação de diferenças, o pesquisador André Diniz apresentou (em 12/11) o trabalho Incorporação de restrições operativas detalhadas utilizadas na elaboração do Programa Diário de Operação do Operador Nacional do Sistema (ONS) no modelo de despacho hidrotérmico de curto prazo, escrito em coautoria com Tiago Norbiato dos Santos (Cepel); Carlos Henrique Medeiros de Saboias (Cepel); Renato Cabral (Cepel); Luís Fernando Elyas (Cepel); Carlos Eduaro Vilas Boas (ONS); João Marco Francischetti Ferreira (ONS); Fabiano Mourão (ONS); Carlos Alberto Araújo Júnior (ONS); Eros Danilo Monteiro de Carvalho(ONS); e Roger Aloisio Kammler (ONS).

 


Variáveis ambientais

 


A incorporação de variáveis ambientais no modelo Matriz, utilizado para o planejamento da expansão energética de longo prazo no Brasil, também foi destacada (em 12/11) pelo pesquisador Alexandre Mollica Medeiros no artigo Incorporação do Custo da Água e do Carbono no Planejamento Energético de Longo Prazo, que tem coautoria de Igor Pinheiro Raupp; Jorge Machado Damazio; Fernanda da Serra Costa; Denise Ferreira de Matos; Maria Luiza Viana Lisboa; Katia Cristina Garcia; Luciana Rocha Leal da Paz; Marcelle Tavares Marques da Silva; Carlos Henrique Medeiros de Saboia; Marcio Giannini Pereira, todos do Cepel.

 


Cenários de geração eólica

 


O Cepel também discorrerá (em 13/11) sobre o modelo computacional VENTOS, voltado à previsão de curto prazo (velocidade do vento e potência gerada) dos recursos disponibilizados em um parque eólico. Os cenários gerados pelo modelo podem ser utilizados no modelo DESSEM (para precificação horária) ou em estudos integrados de expansão a longo prazo, com os modelos MELP e NEWAVE. O tema será exposto pelo pesquisador José Francisco Moreira Pessanha no artigo Uma metodologia para geração de cenários de produção eólica compatíveis com as correlações espaciais entre os regimes de ventos, escrito em coautoria com Albert Cordeiro Geber de Melo (Cepel); Victor Andrade de Almeida (Cepel) e Ricardo Jorge Gomes de Sousa Bento Bessa (Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores).

 


Agenda 2030 e ODS

 


O uso de indicadores de sustentabilidade empresarial para conectar estratégias corporativas do setor elétrico brasileiro às prioridades globais terá destaque (em 13/11), com o artigo Agenda 2030 e ODS: uso de indicadores de sustentabilidade empresarial para conectar estratégias corporativas do setor elétrico brasileiro às prioridades globais, a ser apresentado pela pesquisadora Katia Garcia. São coautores do artigo Luciana Rocha Leal da Paz (Cepel); Alexandre Mollica Medeiros (Cepel); e Daniella Feteira Soares (Eletronorte).