• VOLTAR
  • Imprimir
  • ENVIAR
  • A+ A-
Cepel e Amazonas GT intensificam projetos conjuntos

Detalhes: Notícias

Cepel e Amazonas GT intensificam projetos conjuntos

18-11-2019

O diretor-presidente da Amazonas Geração e Transmissão de Energia (Amazonas GT), Wady Charone Júnior, o diretor Administrativo e Financeiro, Adriano Marcos Yda, e o responsável pelo Departamento de Normatização Técnica e P&D da empresa, Whylker Moreira Frota, estiveram no Cepel, no último dia 7, para reunião sobre propostas do Centro para compor Carteira de Projetos de P&D. A Amazonas GT tornou-se um Associado Especial do Cepel em maio deste ano, e, desde então, as instituições vêm interagindo com o objetivo de compor uma carteira de projetos de P&D e serviços tecnológicos. Os executivos foram recebidos pelos diretores Amilcar Guerreiro, Raul Balbi Sollero, Orsino Borges de Oliveira Filho e Aracilba Alves da Rocha, bem como por integrantes do corpo gerencial e técnico do Centro.

 

Na parte da manhã, os visitantes assistiram à proposição de vários projetos direcionados às necessidades da Amazonas GT e que utilizam soluções tecnológicas desenvolvidas pelo Cepel. Dentre eles, destacam-se: avaliação de integridade de turbinas a vapor e a gás através dos sistemas TURBODIAG-VAPOR e TURBODIAG-GÁS, propostas que devem ser consolidadas para avaliação de geradores tipo ciclo combinado; avaliação técnico-econômica da inserção de células a combustível em usinas termelétricas, visando maior eficiência energética; treinamento de operadores de centros de controle e de instalações elétricas, por meio do simulador digital de redes elétricas TopSim e do programa Astro, respectivamente, ambos associados ao SAGE (Sistema Aberto de Gerenciamento de Energia); automação da geração de relatórios técnicos e gerenciais obtidos de dados históricos do SAGE; e gerenciamento e análise de oscilografias digitais através do sistema Sinape.Net.

 

Também foram apresentados projetos de expansão do sistema DianE para monitoramento preditivo de equipamentos de usinas hidrelétricas e termoelétricas; desenvolvimento e implantação de sistema integrado de monitoramento e diagnóstico de geradores (sistema SOMA); detecção de alterações nos dielétricos de geradores síncronos (SCAn-Geradores); soluções tecnológicas para pintura de manutenção; análise econômico-financeira de empreendimentos de geração e transmissão (programa ANAFIN) e gestão de indicadores de sustentabilidade (sistema IGS).

 

As apresentações foram realizadas pelos pesquisadores Maurício Barreto, Ary Vaz Pinto, André Diniz, Ayru Leal de Oliveira Filho, Marcelo Rosado, Marco Antonio Macciola, José Geraldo de Melo Furtado, Dickson Silva de Souza, Fábio Rodrigo Siqueira Batista, Denise Matos, André Tomaz de Carvalho e Cristina Amorim. Participaram da reunião os assessores de diretoria Fabio Cavaliere, Antônio Ricardo de Carvalho e Juarez Castrillon Lopes.

 

Na parte da tarde, os visitantes conheceram um pouco da capacidade laboratorial e dos projetos desenvolvidos no Laboratório de Supervisão e Controle; no Laboratório de Sistemas de Diagnóstico para Equipamentos de Geração; no Laboratório de Diagnóstico em Equipamentos e Instalações Elétricas; no Laboratório de Corrosão e no Laboratório de Sistemas fotovoltaicos – Simulador Solar, inaugurado recentemente.

 

 

Treinamentos e visitas técnicas

 

Além de a Amazonas GT enviar, periodicamente, profissionais para treinamentos diversos no Cepel, equipes técnicas do Centro têm se deslocado para avaliações em campo nas unidades e equipamentos da empresa.

 

“A Amazonas GT reconhece o empenho e dedicação dos pesquisadores do Cepel que, por meio do conhecimento e da pesquisa, promovem soluções inteligentes, possibilitando, assim, a mitigação de problemas e nos permitindo gerar energia da melhor forma possível com o menor custo possível”, afirmou Whylker, por ocasião das visitas.

 

Em outubro, os pesquisadores Hélio Amorim, Thiago Baptista, Paulo Roberto de Oliveira, Rômulo Delgado e o engenheiro eletricista da PUC-Rio Caio Cunha avaliaram cerca de 300 equipamentos de quatro subestações da Amazonas GT: SE Manaus, SE Jorge Teixeira, SE Lechuga e SE Mauá 3, realizando medição de descargas parciais em transformadores de potencial, transformadores de corrente e para-raios, por meio do sistema IMA-DP. Na SE Manaus, também foram feitas medições por emissão acústica em transformadores de potência, através dos sistemas Disp e IMA-Acústico.

 

Em dezembro, a equipe voltará ao Amazonas para avaliações nas SEs Balbina, Presidente Figueiredo e Cristiano Rocha. De acordo com os especialistas, a detecção de descargas parciais é um dos principais métodos de avaliação do estado operativo do equipamento e prevenção a possíveis falhas.

 

Também em outubro, os pesquisadores Athanasio Mpalantinos Neto e Paulo Roberto de Oliveira realizaram duas visitas técnicas à Amazonas GT. No início do mês, estiveram nas SE Manaus e Jorge Teixeira, quando mediram campos elétricos e magnéticos para atendimento à RN 398/413/616 da Aneel. Na segunda visita, realizaram medições de pressão sonora nas UTEs Codajás, Mauá 3 e Aparecida do Norte.

 

Em agosto deste ano, já haviam sido realizadas inspeções nas áreas de Corrosão em três unidades geradoras da Amazonas GT: UHE Balbina, UTE Mauá 3 e UTE Aparecida. “Fizemos extração de contaminantes em diferentes locais das usinas para avaliar a corrosividade local, e os materiais coletados foram analisados pelo Laboratório de Análises Químicas do Cepel. Também medimos as condições climáticas locais. Todos os registros foram organizados e entregues à Amazonas GT”, assinalam os pesquisadores Alberto Ordine e Cristina Amorim, que também estiveram na empresa, na última semana de outubro, ministrando o curso Fundamentos de Inspeção de Pintura Anticorrosiva a 16 profissionais.

 

Sobre o projeto proposto à Amazonas GT, englobando inibidores de corrosão e revestimentos anticorrosivos, Alberto e Cristina afirmam: “a médio e longo prazos, a adoção de esquemas de pintura mais adequados ao ambiente agressivo da região vai possibilitar à empresa redução de paradas para serviços de manutenção, bem como de custos”, ressaltam.

 

Também em agosto, os pesquisadores Heloisa Furtado e Josélio Buarque estiveram na UHE Balbina, UTE Mauá 3 e UTE Aparecida para inspeções na área de Metalurgia e Materiais. Desde então, o Cepel já realizou ensaios de inspeção em vasos de pressão, medição de espessura nas tubulações do sistema de refrigeração e medição por ultrassom nas palhetas do pré-distribuidor da UHE Balbina e da UTE Aparecida. Em dezembro, os mesmos serviços serão realizados na UTE Mauá 3, que também será submetida à avaliação de integridade, em parada programada para o início do ano que vem.

 

“O projeto proposto para monitoramento e cálculo, em tempo real, da vida remanescente das turbinas a gás da UTE Mauá 3 é algo bastante desafiador, uma vez que os mecanismos de degradação de turbinas a gás ainda não são dominados, e os algoritmos de cálculo da vida remanescente precisam ser desenvolvidos. A iniciativa resultará em redução dos custos de manutenção, maior segurança operacional e aumento dos períodos entre paradas programadas, podendo ser estendida a qualquer turbina a gás do setor elétrico brasileiro”, destacam Heloisa e Josélio.