• VOLTAR
  • Imprimir
  • ENVIAR
  • A+ A-
Cepel e Eletronuclear realizam avaliação dielétrica do gerador da Usina Nuclear Angra 1

Detalhes: Notícias

Cepel e Eletronuclear realizam avaliação dielétrica do gerador da Usina Nuclear Angra 1

31-01-2020

O Cepel realizou, entre os dias 28 e 30 de janeiro, em conjunto com a Eletronuclear, Associado Especial do Centro, a avaliação dielétrica do gerador elétrico da Usina Nuclear de Angra 1, empreendimento com 640 megawatts de potência e capaz de suprir a demanda de uma cidade com 1 milhão de habitantes. A atividade faz parte dos procedimentos adotados, a cada 13 meses, pela Eletronuclear para a manutenção de seus ativos em parada geral obrigatória da usina nuclear para reabastecimento de combustível.

 

Essa foi a 25º parada da usina, denominada 1P25. Na ocasião, foram realizados dois testes dielétricos para diagnosticar a integridade do gerador: um de descargas parciais e outro, de capacitância e tangente delta, por meio dos sistemas IMA-DP e IMA-CTD, desenvolvidos pelo Cepel. “Foi a oitava vez que realizamos essa avaliação em ativo tão importante para o setor. Posso afirmar que a repetição da atividade aumenta, em muito, a produtividade da equipe e, consequentemente, a qualidade do trabalho. Tudo transcorreu dentro da normalidade, mesmo considerando os riscos associados à alta tensão”, assinala o pesquisador do Cepel Hélio Amorim.

 

De acordo com Hélio, embora as máquinas elétricas rotativas sejam equipamentos elétricos confiáveis, com baixa taxa de falha, o isolamento elétrico é um dos subsistemas que mais interrompem sua operacionalidade. “As principais técnicas para a obtenção de dados quantitativos são as descargas parciais e a tangente delta. Com conhecimento destas duas grandezas, é possível atestar sobre as condições do isolamento elétrico, dando tranquilidade à empresa quanto à operação do ativo”.

 

O pesquisador acrescenta que o grau de excelência em assuntos tecnólogicos está sempre associado ao conhecimento técnico da equipe e à experiência em determinado assunto. “Sabemos que estamos no caminho certo para atingir esse patamar. A possibilidade de desenvolver pesquisa experimental em laboratórios de alta tensão, como os que possuímos no Fundão e, especialmente, em Adrianópolis, com cenários muito próximos da realidade, acelera de forma decisiva esse processo”, conclui.

 

Além de Hélio, participaram da atividade pelo Cepel os profissionais Thiago Baptista Rodrigues, Paulo Roberto de Oliveira e Jorge Luis de Oliveira.