• VOLTAR
  • Imprimir
  • ENVIAR
  • A+ A-
Cepel tem seis trabalhos premiados no XXV SNPTEE

Detalhes: Notícias

Cepel tem seis trabalhos premiados no XXV SNPTEE

20-11-2019

Chegou ao fim mais uma edição do Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica (SNPTEE), maior evento técnico do setor elétrico brasileiro, promovido pelo Cigre-Brasil. Realizado entre 10 e 13 de novembro em Belo Horizonte (MG), sob coordenação da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), o XXV SNPTEE reuniu 2.500 participantes. Dos 513 informes técnicos apresentados nos 16 Grupos de Estudos, 48 foram premiados. O Cepel obteve seis premiações no evento.

 

GE GAT: 1º e 3º lugares

 

No Grupo de Estudos Análise e Técnicas de Sistemas de Potência CA e CC (GAT), o Centro teve dois informes técnicos premiados. O primeiro lugar ficou para O novo programa computacional AnaHVDC para simulação dos múltiplos elos HVDC do SIN, considerando transitórios eletromecânicos e eletromagnéticos, escrito por Sérgio Gomes Jr. (Cepel); Leonardo Pinto de Almeida (Cepel); Fabricio Lucas Lirio (Cepel); Thiago José Masseran Antunes Parreiras (Cepel); Tiago Santana do Amaral (Cepel); Rodrigo Godim de Azevedo (Cepel); Luciano de Oliveira Daniel (UFF); Thiago José Barbosa da Rocha (UFF).

 

O artigo descreve o novo programa AnaHVDC, que tem por objetivo a simulação da dinâmica de sistemas de potência contendo múltiplos elos de corrente contínua (“HVDC links”), incluindo os transitórios eletromecânicos e eletromagnéticos. De acordo com os autores, a grande importância do programa é a possibilidade de simular, com precisão, a falha de comutação dos múltiplos elos do Sistema Elétrico Brasileiro, que pode representar uma interrupção de até 20 GW de potência, podendo provocar blecautes.

 

“Atualmente, por não haver um programa similar no mundo, as imprecisões são compensadas adotando-se uma margem de segurança conservadora nos estudos de planejamento da operação e da expansão do Sistema Elétrico Brasileiro. Acredita-se que com o uso disseminado do AnaHVDC haverá um maior grau de precisão dos limites de intercâmbio seguros do sistema, trazendo como benefícios uma maior confiabilidade e economia”, ressaltam os autores.

 

Já o informe técnico Novos desenvolvimentos do programa ANATEM aplicados à modelagem detalhada de controladores HVDC, escrito por Fabrício Lucas Lirio, Nícolas Abreu Rocha Leite Netto e Lígia Rolim da Silva, todos pesquisadores do Cepel, em conjunto com o engenheiro Fernando Cattan Jusan, de Furnas, ficou em 3º lugar no GAT.

 

No trabalho, são apresentados novos blocos de Controladores Definidos pelo Usuário (CDU) no Programa ANATEM, desenvolvido pelo Cepel, que facilitam a representação de estruturas complexas presentes nos sistemas de controle do HVDC, evitando erros e permitindo maior uniformidade nas modelagens. Também foram elencados novos recursos que permitem a representação de estruturas de controle que antes não podiam ser representadas diretamente.

 

“Desta forma, o ANATEM, como a principal ferramenta de simulação nos estudos de estabilidade, vem contribuindo continuamente para o aumento do detalhamento e precisão dos estudos dinâmicos no SIN”, assinalam os autores.

 

GE GTM: 1º lugar

 

No Grupo de Estudos de Transformadores, Reatores, Materiais e Tecnologias Emergentes (GTM), o Cepel ficou em primeiro lugar com o informe técnico Sistema de medição para solicitações transitórias em transformadores de corrente para alta tensão, escrito por Carlos Magno Vasques; Rômulo dos Santos Delgado; Luiz Eduardo Dias Santos; Dickson Silva de Souza; Italo Foradini da Nova; Márcio Thelio Fernandes da Silva, todos do Cepel.

 

O informe apresenta o desenvolvimento, caracterização e avaliação do desempenho de um novo sistema baseado em uma metodologia de medição de correntes transitórias que percorrem o equipamento.Tal sistema permite recompor sobretensões a que os componentes internos dos transformadores de corrente possam ter sido submetidos, quando da manobra de secionadores numa subestação. “Tais avaliações de sobretensões têm sido tema relevante no setor elétrico dados os incidentes neste tipo de equipamento ocorridos nos últimos anos”, destacam os autores.

 

GE GOP: 2º lugar

 

No Grupo de Estudo de Operação de Sistemas Elétricos (GOP), o informe Programação dinâmica dual assíncrona – aplicação ao problema de planejamento de curto/médio prazos da operação hidrotérmica, apresentado pela pesquisadora Lilian Chaves Brandão dos Santos, obteve a segunda colocação.

 

O trabalho fez parte da pesquisa de mestrado de Lílian e tem como coautor o pesquisador André Diniz, orientador do trabalho. Desenvolvido no âmbito do modelo DECOMP, o trabalho está no contexto de um novo ambiente computacional que visa acomodar os modelos de planejamento energético em uma plataforma única, dedicada e eficiente. O foco da pesquisadora foi adaptar o método de solução utilizado hoje pelo modelo DECOMP de forma a obter melhor eficiência em ambientes multiprocessados.

 

“A redução do tempo computacional através da computação de alto desempenho permite uma melhor representação do sistema eletroenergético e agiliza o uso rotineiro do programa pelas diversas instituições e agentes”, consideram os autores.

 

GE GSE: 3º lugar

 

No Grupo de Estudo de Subestações e Equipamentos de Alta Tensão (GSE), o informe técnico Medição de descargas parciais em transformadores de instrumentos e para-raios no campo: ferramentas preditivas de diagnóstico para uma possível gestão de ativos, escrito por Leonardo Torres Bispo dos Santos (Cepel); Rômulo dos Santos Delgado (Cepel); Luiz Eduardo Dias Santos (cepel); Helio de Paiva Amorim Júnior (Cepel); Roberto Campos de Menezes (ex-Cepel), obteve a terceira colocação.

 

O trabalho apresenta uma síntese do que foi desenvolvido durante um projeto de pesquisa institucional (Carteira PI) entre o Cepel e a Eletronorte, transcorrido entre 2012 e 2018. O projeto buscou o desenvolvimento e a aplicação de metodologias de diagnóstico em Transformadores de Instrumentos e Para-Raios no campo através da medição de descargas parciais por métodos não convencionais e principalmente não invasivos, ou seja, sem que haja a necessidade de desligamentos nas subestações para se efetuarem tais avaliações. As técnicas de medição empregadas foram baseadas em métodos eletromagnéticos utilizando TCs de alta frequência, a metodologia acústica com sensores piezoelétricos e o método UHF utilizando antenas posicionadas próximo aos equipamentos.

 

“Durante o desenvolvimento do trabalho, pesquisas experimentais foram antecipadamente realizadas no Cepel para verificação de sensibilidade dos sensores adotados e, posteriormente, estas metodologias foram aplicadas no campo.Mais de 210 equipamentos foram avaliados sem causar interrupções no sistema, incluindo casos de diagnóstico positivo, onde a retirada dos equipamentos após as medições pôde evitar falhas catastróficas ou mesmo explosões. Este fato comprova a efetividade das metodologias de avaliação de descargas parciais nos equipamentos e nos permite propor as mesmas como uma ferramenta para a gestão destes ativos nas empresas de energia”, explicam os autores.

 

GE GLT: 3º lugar

 

No Grupo de Estudo de Linhas de Transmissão (GLT), o informe técnico Análise de Procedimento de Manutenção em Linha Viva e Desenvolvimento de Soluções para Aumento de Segurança dos Eletricistas, escrito por Luis Adriano de Melo Cabral Domingues (Cepel); Athanasio Mpalantinos Neto (Cepel); Carlos Ruy Nunez Barbosa (Cepel); Paulo Roberto Gomes de Oliveira (Cepel); e Gerson Vale de Resende (Furnas), ficou em terceiro lugar.

 

O artigo descreve a realização de um trabalho para empresa do setor elétrico, envolvendo as etapas de diagnóstico do problema, desenvolvimento de solução, construção de um protótipo e testes no campo. O problema envolvia aspectos de segurança dos eletricistas que realizavam atividades de manutenção em linha viva – troca de espaçadores - numa linha de transmissão em 500 kV. Durante este trabalho de manutenção os eletricistas recebiam choques intensos chegando, em um dos casos, perto de uma eletrocussão fatal.

 

“O diagnóstico identificou um fenômeno que não havia sido verificando anteriormente e que foi potencializado pelas características específicas do caso. O protótipo do dispositivo de segurança foi testado com sucesso no campo e seu uso permitiu a retomada normal do trabalho. O novo procedimento de manutenção deve passar a ser adotado pelas equipes de manutenção no setor”, esclarecem os autores.