• VOLTAR
  • Imprimir
  • ENVIAR
  • A+ A-
Incorporação da dimensão ambiental no planejamento da expansão da transmissão é foco de treinamento do Cepel

Detalhes: Notícias

Incorporação da dimensão ambiental no planejamento da expansão da transmissão é foco de treinamento do Cepel

16-10-2019

No último dia 14, o Cepel realizou pela primeira vez para o público externo treinamento na ferramenta AMBIENTRANS, desenvolvida no âmbito do projeto AAEXP (Avaliação Ambiental Estratégica da Expansão da Geração). O AMBIENTRANS está voltado à incorporação da dimensão ambiental no planejamento da expansão da transmissão.

 

“O AMBIENTRANS visa desenvolver uma metodologia a ser aplicada ao processo de planejamento dos sistemas de transmissão de energia elétrica, apontando critérios a serem considerados nos estudos para permitir na análise integrada de aspectos de engenharia, econômicos e ambientais, com o objetivo final de minimizar os impactos socioambientais negativos”, explica a pesquisadora do Cepel Denise Matos, uma das instrutoras do curso e gerente do projeto AAEXP.

 

De acordo com Denise, para aplicação da metodologia foi desenvolvida uma ferramenta de análise AMBIENTRANS, que utiliza técnicas de Geoprocessamento e Sistema de Informações Geográficas (SIG). Acoplada ao ArcGIS, um dos softwares de SIG mais utilizados no mercado, esta ferramenta possibilita a definição de uma região, um corredor (ou várias alternativas de regiões), onde os impactos socioambientais potenciais da instalação de uma linha de transmissão sejam minimizados.

 

Duas das principais vantagens do AMBIENTRANS são a flexibilidade em gerar novos resultados e a possibilidade de aplicar aos resultados obtidos as funcionalidades disponíveis no software ArcGis. “O objetivo de uso da ferramenta não é exatamente descobrir um corredor ‘correto’, e, sim, conseguir visualizar um conjunto de alternativas, comparando as vantagens e desvantagens entre as mesmas, de forma a auxiliar na tomada de decisão”, explica Denise.

 

O treinamento contou com 14 participantes, dentre eles 10 integrantes da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), que vêm testando o AMBIENTRANS desde junho deste ano para aplicação na etapa inicial dos estudos de planejamento da expansão da transmissão, ou seja, nos Relatórios R1 - Estudos de Viabilidade Técnico-Econômica e Socioambiental, que visam demonstrar a competitividade de uma alternativa de referência frente a outras analisadas. Para Silvana Andreoli Spig, da EPE, “o treinamento foi fundamental para demonstrar como o AMBIENTRANS pode ser útil para empreendimentos lineares [empreendimentos que se estendem por grandes distâncias em uma única dimensão, como linhas de transmissão, rodovias, gasodutos, hidrovias], sendo um software robusto e rápido”.

 

Foram instrutores do treinamento, além de Denise Matos, os pesquisadores Marcelle Marques e Sergio Melo, e engenheiro ambiental Juliano Abreu (da PUC-Rio).