• VOLTAR
  • Imprimir
  • ENVIAR
  • A+ A-
Mario Veiga ministra palestra sobre transição energética e inteligência artificial no Cepel

Detalhes: Notícias

Mario Veiga ministra palestra sobre transição energética e inteligência artificial no Cepel

31-10-2019

“A grande vantagem competitiva está no cérebro. O centro de pesquisa sempre foi uma fonte de valor, mas, hoje, o centro de pesquisa é uma fonte de valor ainda maior, pois o valor é gerado pela inovação, que vem destas instituições”, destacou o engenheiro eletricista Mario Veiga, diretor de Inovação da PSR Consultoria, em sua palestra, realizada, hoje (31), para o corpo de empregados do Cepel. Como assinalou o diretor-geral, Amilcar Guerreiro, a apresentação de Mario integra um programa que o Cepel está desenvolvendo com foco na inovação e no reposicionamento estratégico do Centro, em um cenário de grandes mudanças por que passa o setor energético em nível mundial.

 


Como vetores desta transição energética, Mario Veiga identifica a descarbonização em vários setores, a mobilidade elétrica incorporando condução autônoma, os consumidores e a machine learning. Os sinais de mudança já se fazem presentes no dia a dia, e o futuro será ainda mais complexo, não só impondo desafios, mas trazendo inúmeras oportunidades.

 


De acordo com Mario, o futuro será desafiador para os diversos integrantes da indústria de energia, que, inclusive, ganha um novo player: o consumidor. No que diz respeito, à produção de energia, será preciso lidar não só com a geração em todos os níveis da rede – desde a geração tradicional (hidrelétricas, termoelétricas), até geração distribuída – mas, também, com decisões descentralizadas na operação (Operador Nacional do Sistema Elétrico e Operadores de Sistemas de Distribuição).

 


O sistema de transmissão de energia, por sua vez, precisará acomodar a variabilidade da geração renovável e os investimentos tradicionais, bem como fazer uma interface com os Operadores de Sistemas de Distribuição. Na área de comercialização, as incertezas estão relacionadas, dentre outros fatores, a uma maior abertura para o mercado livre, à resolução horária no planejamento da operação e à oferta de preço. Já o setor de distribuição vai precisar de um novo modelo comercial, pois a receita das distribuidoras vai ser impactada na medida em que mais consumidores passarem a produzir sua própria energia, enquanto devem arcar com os custos fixos de manutenção da rede.

 


Para gerenciar toda esta complexidade, segundo Mario, o papel dos pesquisadores e desenvolvedores de soluções é pensar de forma cada vez mais integrada. E, neste trabalho, a palavra-chave é flexibilidade. Ou seja, é preciso encontrar soluções para se adaptar às mudanças que acontecem em um ritmo cada vez mais acelerado, e, para fazer isto, é necessário, mais do que nunca, investir na capacitação destes profissionais.

 


Mario ressaltou, ainda, que a transição para este futuro incerto vem sendo acompanhada por uma crescente e ininterrupta disponibilidade de dados. Neste contexto, as técnicas de inteligência artificial (deep learning, reiforced learning, machine learning etc) podem ser fortes aliadas para ampliar a capacidade de responder aos novos desafios, permitindo a seleção de informações, identificação de padrões, criação de cenários e a tomada de decisões sobre incertezas.