• VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENVIAR
  • A+ A-
Cepel participa de seminário sobre regulamentação da eficiência energética em equipamentos de refrigeração

Notícias

Cepel participa de seminário sobre regulamentação da eficiência energética em equipamentos de refrigeração

03-09-2018

 O pesquisador do Cepel Maurício Lisboa, chefe do Departamento de Laboratórios do Fundão (DLF), foi um dos palestrantes do seminário “Programa Brasileiro de Etiquetagem em Eficiência Energética para Sistemas de Refrigeração e Ar-condicionado”, realizado, no último dia 22, na sede da Federação das Indústrias do Estado do São Paulo (Fiesp), em São Paulo.

 

Promovido pela Associação Brasileira de Refrigeração, Ar-Condicionado, Ventilação e Aquecimento (Abrava), em parceria com o Ministério de Minas e Energia (MME), a Eletrobras e o Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), o evento teve como objetivo discutir o desenvolvimento de um plano de ação para regulamentação da eficiência energética em equipamentos/sistemas ainda não certificados no segmento de refrigeração e ar-condicionado.

 

Maurício Lisboa comenta que, para se ter uma ideia da relevância do tema, o relatório The Future of Cooling, publicado recentemente pela Agência Internacional de Energia (AIE), estima que a adoção de níveis obrigatórios de eficiência energética possa reduzir pela metade o consumo dos sistemas de ar-condicionado globalmente e economizar até US$ 2,9 trilhões em investimento, combustível e custos operacionais até 2050.

 

Segundo o economista Fatih Birol, diretor-executivo da AIE, “estabelecer padrões mais altos de eficiência energética para os sistemas de climatização é uma das medidas mais fáceis que os governos podem tomar para reduzir a necessidade de novas usinas, cortar emissões e diminuir custos ao mesmo tempo”.

 

No entanto, como assinala Maurício, “no Brasil, os sistemas de refrigeração e condicionamento de ar comerciais e industriais não estão submetidos a qualquer controle de níveis de eficiência energética, ainda que mínimos”.

 

Neste sentido, o pesquisador considera que o seminário cumpriu o seu papel de nivelar informações e evidenciar a importância e urgência de se estabelecer um programa de eficiência energética para estes setores, tamanho o alcance que pode ser atingido em níveis de economia de energia para o país. Ele acrescenta que foram disponibilizados dados de mercado pelos fabricantes cujos valores não eram estimados nem de longe pelos agentes do governo.

 

 

Experiência do Cepel

 

Maurício foi convidado a palestrar sobre Estrutura Laboratorial. “Minha apresentação teve como foco a infraestrutura laboratorial do Cepel, citando, inicialmente, os demais departamentos do Centro e a sua importância como um todo para a sociedade. Na sequência, me detive no core business dos departamentos da Diretoria de Laboratórios - ensaios, serviços tecnológicos e pesquisa experimental, evidenciando a nossa expertise na realização de ensaios de avaliação do desempenho dos equipamentos presentes no setor elétrico brasileiro e a nossa parceria com o MME, Procel e Inmetro na estruturação do Programa Brasileiro de Etiquetagem e do Selo Procel”, assinala.

 

Maurício também se deteve nos laboratórios do Cepel que atuam diretamente nos programas de eficiência energética. “Neste contexto, descrevi as barreiras atuais para a implementação de um programa de etiquetagem (eficiência energética) voltado a sistemas de refrigeração e condicionamento de ar comerciais e industriais, uma vez que não existe infraestrutura laboratorial no país para suportar o programa, e  coloquei o Cepel à disposição para receber recursos e implantá-la, a exemplo da nossa bem-sucedida ação no programa de refrigeradores e condicionadores de ar residenciais”.

 

O pesquisador ressalta que, em função da apresentação do Cepel, ficou sinalizado que o programa de eficiência energética deve se iniciar pelos refrigeradores comerciais e expositores refrigerados, adaptando parte da infraestrutura existente no Laboratório de Refrigeração do Centro, primeiro laboratório do Programa Brasileiro de Etiquetagem. “As entidades envolvidas firmaram o compromisso de acelerar as discussões para a elaboração de um cronograma factível para o estabelecimento do programa no país”, finaliza.

 

Participaram do evento cerca de 250 profissionais, dentre fabricantes, fornecedores de ar-condicionado central e refrigeração comercial e industrial, instaladores, projetistas, profissionais de comissionamento, comunidade acadêmica, entidades governamentais e não governamentais, e consumidores.