• VOLTAR
  • IMPRIMIR
  • ENVIAR
  • A+ A-
Cepel participa de Workshop de Reparo de Motores

Notícias

Cepel participa de Workshop de Reparo de Motores

25-09-2018

 

O assessor da Diretoria Geral do Cepel George Alves Soares e Fernando Rodrigues da Silva Junior, pesquisador do Departamento de Materiais, Eficiência Energética e Geração Complementar (DME), participaram, no último dia 12, do I Workshop de Reparo de Motores promovido pelo Grupo de Trabalho (GT) de Motores Recondicionados, criado em 2017 pelo Ministério de Minas e Energia (MME) e coordenado pelo Centro. O evento reuniu cerca de 80 participantes de indústrias no Senai-Indaiatuba (SP), localizado no polo industrial da cidade.

 


George, coordenador do GT, explica por que se deve dar tanta atenção ao tema. “Os motores elétricos são o segmento de maior consumo de energia elétrica no Brasil – cerca de 25% da energia elétrica total. Embora durem em média 17 anos, os motores apresentam falhas em suas vidas úteis, falhas estas que, se reparadas indevidamente, podem ocasionar queda de rendimento, ou seja, aumento de perdas”, assinala.

 


Para George, o saldo do workshop foi bastante positivo. As discussões giraram em torno do estado atual do setor no Brasil, das ações desenvolvidas pelo governo, das boas práticas na área, de questões relativas à normatização, e da nova pesquisa mercadológica na área de motores recondicionados realizada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio).

 


A universidade já havia realizado estudo no tema em 2012, chegando a estimativas preocupantes sobre o desempenho de motores recondicionados. Considerando um cenário conservador, a pesquisa estimou, para o ano em questão, que uma perda média de 8,7% de rendimento ao longo da vida útil do motor elétrico implicaria uma perda de energia de 7,1 TWh/ano, o que corresponde à geração de energia de uma usina como a de Porto Primavera (de 1.540 MW de potência), considerando um fator de capacidade médio de 55%. Este consumo equivale a 1,5% de toda energia consumida no Brasil e a 5,6% do consumo de energia do setor residencial, podendo atender a 3,6 milhões de residências no país durante um ano, considerando-se um consumo médio mensal de 163 kWh por residência.

 


George pontua que, recentemente, estes números foram atualizados, e as perdas, estimadas em 8,4 TWh/ano. Foi neste contexto, de práticas ineficientes e grande desperdício de energia, que o MME criou o GT de Motores Recondicionados, no ano passado. “O GT já realizou seis reuniões, com 13 instituições participantes, e atua em seis vertentes: identificação do setor de motores recondicionados; qualificação e capacitação de profissionais; conscientização do consumidor; normatização; criação da representatividade do setor; e rendimentos mínimos para os motores recondicionados”, afirma, acrescentando que, no workshop, discorreu sobre as principais atividades em cada uma.

 


O Cepel é bastante atuante no GT, não só por coordená-lo, mas também por ter os pesquisadores Wagner Duboc, do Departamento de Laboratórios de Adrianópolis (DLA), e Fernando Rodrigues como membros ativos na área de normatização. Inclusive este foi o tema da palestra do pesquisador Fernando no evento, quando apresentou o estágio de desenvolvimento da primeira norma no campo de recondicionamento de motores.

 


A intensa participação do Centro no GT suscitou a apresentação de um projeto de pesquisa inovador em motores recondicionados para o Plano de Aplicação de Recursos do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel). A proposta é avaliar a perda média de rendimento decorrente das diversas técnicas de reparo utilizadas, para três categorias de motores de indução trifásicos.

 


O GT pretende organizar um novo workshop em outubro, desta vez no Rio de Janeiro.